03
09
2021

Efeitos dos Probióticos e prebióticos no organismo

A preocupação em aumentar a expectativa de vida da população tem vindo a gerar vários estudos no campo da nutrição, especialmente aqueles que envolvem alimentos e os seus efeitos no organismo humano, realizados com o objetivo de melhorar a qualidade nutricional e de vida.

A alimentação é um fator muito importante tanto na prevenção quanto na promoção para a saúde humana, evitando e controlando várias doenças.

O desenvolvimento de novos produtos alimentares torna-se cada vez mais abrangente e desafiante, à medida que o mercado procura atender as exigências dos consumidores por produtos saudáveis e atrativos. 

Devido a enorme expansão da utilização de probióticos e prebióticos na alimentação, tornou-se necessária a revisão da importância desses bioativos para saúde humana, e á sua utilização na indústria de lácteos.

Sabe-se que muitos nutrientes possuem propriedades funcionais como os probióticos, simbióticos (alimentos que apresentam um probiótico e um prebiótico combinados) e prebióticos, entretanto estes têm efeitos benéficos ao organismo contribuindo, em particular, para melhorar o funcionamento da flora intestinal.

Os probióticos, assim como os prebióticos, enquadram-se no conceito de alimentos funcionais.

O conceito diz que alimento funcional é aquele que além de fornecer a nutrientes essenciais, promove ainda a saúde do hospedeiro. A classificação de um alimento funcional pode ser feita de acordo com o alimento em si ou conforme a presença de componentes bioativos presentes, como por exemplo os probióticos. 

Existem dois requisitos importantes para a eficácia dos produtos alimentares probióticos que são o número mínimo de bactérias probióticas viáveis no produto alimentar na altura do consumo e o armazenamento dos produtos alimentares a temperaturas viáveis de refrigeração.

Os microrganismos probióticos constituem assim um importante aliado para a prevenção e recuperação de diversas doenças ligadas à flora microbiana intestinal pois são microrganismos vivos que agem no trato gastrointestinal. Quando ingeridos possuem uma ação benéfica, tornando a nossa microbiota mais resistente, microbiota essa que está intimamente ligada com o sistema imunitário e as nossas defesas.

Os Prebióticos, são hidratos de carbono não digeríveis no intestino delgado, que ao atingir o intestino grosso, são metabolizados seletivamente por um número limitado de baterias que promovem o crescimento da atividade bacteriana saudável, ou seja diferem dos probióticos precisamente por não serem digeridos pelo trato gastrointestinal. São exemplo de prebióticos a lactulose, inulina e diversos oligossacarídeos.

Assim, a suplementação na dieta com probióticos e prebióticos pode garantir o equilíbrio ao intestino humano, e assim desempenhar um papel fundamental na nutrição.Para que o nosso intestino seja saudável, a microflora é composta de microorganismos que na sua maioria pertencem ao género bifidobacterium e lactobacillus.

Para que uma substância se possa definir como prebiótica deve cumprir requisitos como:

– Os microrganismos escolhidos como constituintes, devem ser habitantes naturais do Trato Gastrintestinal.

– Os microrganismos devem ser capazes de produzir culturas viáveis em concentrações efetivas, estimando se em superiores a 10 8 a 10 11 Unidades Formadoras de Colônia, por grama de produto. 

– Os probióticos devem possuir bactérias capazes de serem ativadas e multiplicadas rapidamente, após a ingestão do produto, com o intuito de inibir patógenos.

– Os microrganismos devem ser tolerantes ás enzimas salivares, ácidos estomacais, sais biliares no intestino delgado e ácido orgânico volátil no intestino grosso. 

– Eles devem ser capazes de aderir ás células epiteliais do intestino.

– O microrganismo que irá compor um probiótico não pode ser patogênico e nem produzir efeitos adversos para o hospedeiro. 

– O microrganismo deverá resistir a antibióticos e a altas temperaturas de processamento.

Benefícios no organismo de uma microbiota saudável e forte: 

  •  No ponto de vista nutricional, o bom funcionamento da microbiota torna-se fundamental para o aproveitamento de ferro e de cálcio e na produção das vitaminas B12 e K.
  • Assume um papel Protetor, pois uma microbiota forte atua como uma barreira, impedindo que os agentes patogénicos invadam o organismo e provoquem inflamações.
  •  Assume um papel relevante nas defesas do sistema imunitário, porque auxilia o organismo nos ataques de agentes patogénicos. 

Alimentos que contêm probióticos:

  • Iogurte 
  • Kefir
  • Chucrute
  • Pickles
  • Miso
  • Chocolate negro
  • Kombucha
  • Azeitonas curadas

Alimentos que contêm prebióticos:

  • Tomate
  • Aveia
  • Alho
  •  Cebola
  • Espargos
  • Banana
  • Soja
  • Alho-francês

Contra-indicações:

  • Antes de serem fermentados, mobilizam  água para o intestino, o que poderá causar diarreia, flatulência, distensão abdominal.
  • A concentração de probióticos no alimento varia bastante e não há padrões de referência para os níveis de bactérias necessárias para integrar o iogurte e outros produtos fermentáveis. Recomenda-se aos profissionais de saúde prudência ao aconselhar estes produtos, pois devem ser introduzidos gradualmente na dieta até atingir esses níveis recomendados em um período de 2 a 3 semanas. 
  • Poderão ainda não ser bem tolerados por indivíduos com síndrome de intestino irritável.

A nutrição necessita de se adaptar aos novos desafios da sociedade, como o aumento da esperança média de vida, através da prevenção e tratamento diversas doenças. Dessa forma, os probióticos e prebioticos têm vindo a destacar-se através de diversos estudos, devido aos seus benefícios para o organismo humano.

Contendo propriedades funcionais, são de igual modo utilizados no tratamento/prevenção de diabetes mellitus, obesidade, dislipidemias, constipações, úlceras, e ainda infeções em diversos sistemas e até no cancro do cólon.

A procura de maior informação por parte dos consumidores faz com que a indústria principalmente, a de laticínios procure desenvolver novos produtos com uma alegação funcional, dentro dos produtos que hoje estão presentes no mercado com essa funcionalidade. Os leites fermentados e produtos lácteos são os que mais se destacam, possuindo na sua composição os dois microrganismos mais utilizados considerados como probióticos, os Lactobacillus e Bifidobacterium.

A combinação de probióticos e prebioticos fortalece assim a microbiota intestinal, pois vai aumentar a presença de bons microrganismos no intestino, alimenta-os e ajudando-os na sua absorção. 

Fontes:

https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/vti-661

– Artigo de Revisão: “Effects of probiotics, prebiotics and synbiotics consumption on the human organism” 

– PROBIÓTICOS: MICRORGANISMOS FUNCIONAIS- Artigo Original Volume 1 – Número 2 – 2º Semestre 2011   https://periodicos.unifap.br/index.php/cienciaequatorial/article/view/562/396

– https://www.atlasdasaude.pt/artigos/probioticos-e-prebioticos-o-que-sao-para-que-servem-e-os-cuidados-ter

Comentário
0

Leave a reply

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Seg a Sexta7:00 – 22:30
Sábado9:00 – 21:00
Domingo10:00 – 18:00
Feriado10:00 – 18:00

Todas as atividades encerram 30 minutos antes da hora de fecho.

Contacte o Clube

Morada: Parque Eduardo VII, 1070-099 Lisboa

email: marketing@clubevii.com
tel.: 213 848 300


© Clube VII, 2020
Todos os direitos reservados